Blog Investimento Futebol

Briga por La Liga continua sem ninguém “sobrar” em campo

Faltam apenas 4 rodadas para o fim do Campeonato Espanhol. Com 4 pontos de vantagem sobre seu arquirrival Barcelona, o Real Madrid tem tudo para levar o título da La Liga nesta temporada. A briga entre os dois gigantes pelo caneco não é novidade, porém algo vem chamando bastante a atenção em 2019/2020: a irregularidade de ambos.

Por mais que a briga ainda esteja aberta, nenhum dos dois convence. O Atlético de Madrid, que retornou mais forte da parada por conta da pandemia, também não faz um ciclo brilhante. Ou seja, por mais que ainda temos disputa até as rodadas finais, essa temporada de La Liga foi marcada por fortes turbulências em Madri e Cataluña.

Líder por eficácia

Sergio Ramos e Benzema são os grandes responsáveis pelo bom momento do Real

O Real Madrid vive uma temporada de instabilidade. Com Zidane regressando ao Santiago Bernabéu, o desafio desde o início é encontrar o time ideal. Com o longo tempo de inatividade por conta da Covid-19, este aspecto segue sem ser atingido, já que o treinador tem rodado o elenco preocupado com a condição física de seus atletas.

O grande fator que fez do time da capital favorito ao título e líder com certa folga, foi a eficiência. Longe de jogar um futebol vistoso, o Real tem conseguido aproveitar as poucas chances que cria.

Isso se dá muito pela temporada magnífica de Karim Benzema. Sem Cristiano Ronaldo, o francês assumiu o protagonismo no Madrid. Além dos 17 gols marcados, ele tem 7 assistências na atual edição de La Liga. Mais que isso, o camisa 9 se mostra um grande facilitador, clareando jogadas e achando companheiros em boas condições de dar seguimento a lances perigosos. Dificilmente o Real marcou algum gol que não tenha o centroavante envolvido na construção.

Nesta retomada do futebol quem tem mostrado algum crescimento é Eden Hazard. Mais “fininho” e livre de lesões, o belga tem melhorado sem desempenho. Outro que vem em franca evolução é o brasileiro Vinícius Jr. A equipe, de um modo geral, tem criado espaços para o jovem ex-Flamengo colocar em prática o que tem de melhor: velocidade e dribles em direção ao gol. Os elogios vindos de Zidane são bem recorrentes.

Outro motivo para o Real Madrid ter criado vantagem sobre o Barcelona nesta corrida pelo título é sua defesa, que se mostra bastante segura nas últimas rodadas. São apenas 2 gols sofridos nos últimos 7 jogos disputados. Além disso, vemos um Sérgio Ramos com grandes atuações. Além de defender bem e liderar a equipe, o zagueiro tem marcado gols importantes.

No Camp Nou, problemas por toda parte

Barcelona não vai bem, mas Messi segue jogando muito

Apesar da boa vitória sobre o Villareal, fora de casa, por 4 a 1, a temporada do Barcelona tem sido uma lástima. Trocas de treinador, problemas de relação no vestiário, lambanças da diretoria… É seguro dizer que os empecilhos são somente as más atuações da equipe.

Atritos que tem abalado o ambiente e fazendo com que Messi repense sua continuidade no clube, segundo informações da imprensa local. Com contrato até o meio de 2021, a estrela argentina tem se posicionado bastante nos últimos tempos e se mostrado bastante descontente com a gestão dos cartolas. Mesmo assim, o camisa 10, que atingiu 700 gols na carreira durante a última semana, segue sendo a esperança da equipe na busca pelo título espanhol. Apesar de todos os problemas, suas atuações seguem em alto nível e, por vezes, “carregando o time nas costas”.

Os problemas do elenco com o atual treinador Quique Setién também são bastante claros. Trocas de farpas na imprensa, desentendimento com auxiliar e um futebol pobre dentro de campo. A permanência do comandante para a próxima temporada, aliás, é bastante improvável.

Dentro de campo vemos um Barcelona extremamente suscetível a contra-ataques. Com uma veia bastante ofensiva, a equipe tem tido dificuldade para se defender de ataques rápidos quando perde a posse de bola. O sofrido contra o Villareal é um exemplo.

Na frente, o time também não mostra grande naturalidade para furar as defesas adversárias. Por vezes falta movimento, falta dinâmica à equipe quando tem a bola. Fica bastante nítido um jogo mais estático, incapaz de criar espaços contra defesas bem montadas. A parceria Messi e Suárez é um alento em um cenário de tanta instabilidade.

Quem vem sofrendo em meio a essa desorganização é Griezmann. Apesar da boa atuação no último compromisso, o francês chegou a perder a vaga no time titular. O próprio treinador disse em entrevista que “era difícil escalá-lo e manter o time equilibrado ao mesmo tempo”. Prova do quanto o Barcelona tem errado, fora e dentro de campo nos últimos anos.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *